Desde 2001, um website dedicado à divulgação dos Escritos teológicos de Emanuel Swedenborg (1688-1772).
Literatura Estudo Bíblico Links Biografia de Swedenborg Contatos
Sermões Downloads Tópicos Swedenborg website  

Estudo Bíblico "A Escritura Santa" - Parte 3.2 - O Livro de Isaías
PÁGINA PRINCIPAL | PÁGINA ANTERIOR | PRÓXIMA PÁGINA

...,,
Parte 3 - Os Livros Proféticos do Antigo Testamento

Capítulo 33- O Livro de Isaías

33. O Profeta Isaías

33.1 - Isaías exerceu o ofício profético durante um longo período, de no mínimo 40 e no máximo 60 anos, desde os reinados de Uzias até mais ou menos a época da libertação de Jerusalém do cerco de Senaqueribe, em 701 a.C. O nome Isaías quer dizer "salvação de JEHOVAH'. Nascido de família rica e bem relacionada com as autoridades do reino e do templo, dotado de excelente educação e sincero patriotismo, Isaías foi o profeta hebreu mais prático de todos. Aproveitou suas boas relações para realizar a obra que o Espírito de Deus lhe determinava em prol do bem estar espiritual do povo. Era casado, e sua mulher foi por ele apelidada de "a profetisa" (Isa.8:3). Tiveram dois filhos dos quais nada se sabe a não ser os seus nomes simbólicos (Isa.7:3, 8:3,4). Além do livro que leva o seu nome, Isaías também escreveu uma narração dos "atos de Uzias" ( ver II Crônicas 26:22), porém nada se sabe a respeito desta narrativa.

33.2 - A vida de Isaías foi muito ligada às histórias de Judah e Samaria, mas principalmente Judah. Ele desempenhou sua missão de profeta e guia espiritual numa época de grave crise para seu povo, em meio à idolatria e às ameaças de inimigos, especialmente os assírios. Em seu livro, ele repreende e aconselha Israel; admoesta aos que buscam a salvação por meio de uma aliança com o Egito; prediz a ruína e a queda da Assíria, da Babilônia, do Egito, etc., e a destruição e o restabelecimento de Jerusalém. Fala do nascimento do Messias, Sua vida, lutas e triunfo em Seu reino universal e pacífico. Por causa da clareza e dos detalhes com que figurou a imagem do futuro Salvador, Jerônimo chamou Isaías de "Profeta Evangelista".

33.3 - O LIVRO DE ISAÍAS

O livro de Isaías tem 66 capítulos e 1295 versículos. Os seus assuntos podem ser divididos em sete secções, como se segue: 1ª) Discursos gerais, capítulo 1 a 6; 2ª) O livro de Emanuel, caps.7 a 12; 3ª) O livro dos pesos, 13 a 23; 4ª) O Apocalipse de Isaías, 24 a 27; 5ª) Outras profecias, 28 a 35; 6ª) Narrações, 36 a 39: e 7ª) Profecias da restauração de Israel, 40 a 66.

 

33.4 - Assuntos do Livro de Isaías

Cap.1 - Visão de Isaías, a respeito de Judah, nos dias dos reis Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias. O Senhor rejeita os muitos sacrifícios da nação; antes, quer que deixem de fazer o mal e aprendam a fazer o bem, para que os pecados lhes sejam perdoados.

Cap.2 - O Senhor fala que nos últimos dias o seu culto será nos cumes dos montes. Mas há pecados entre o povo. A soberba será abatida. Os homens se esconderão do juízo.

Cap.3 - Jerusalém e Judah não teriam homens para governar e nem quem pudesse fazê-lo, por causa de seus tropeços. Os adornos femininos seriam tirados.

Cap.4 - A respeito do Renovo do Senhor: a purificação que viria; haveria um tabernáculo para proteção.

Cap.5 - O Senhor faz uma parábola sobre uma vinha que fora bem cuidada, mas que produziu uvas bravas; por isso seria destruída. Compara a vinha a Israel e Judah. Fala da humilhação dos que festejam na opulência e de diversos ais.

Cap.6 - No ano da morte do rei Uzias, Isaías tem a visão do Senhor no trono, rodeado de serafins que cantam: Santo, Santo, Santo!. A humildade de Isaías e sua purificação. Ele é enviado ao povo que não entenderia sua pregação, até que as cidades fossem assoladas.

Cap.7 - Nos dias do rei Acaz, Rezim e Peca sobem contra Jerusalém. O Senhor fala do fim de uma das tribos e dá um sinal ao rei Acaz: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, Emanuel. Fala do crescimento do Filho por meio de outras profecias.

Cap.8 - Profecia da ruína de Israel e da Síria; dá um sinal para a contagem do tempo do cumprimento da profecia dessa ruína.

Cap.9 - Profecia acerca do advento do Senhor, do Menino que nasceria (vers.6). Profecia contra Efraim e os moradores de Samaria, soberbos e altivos. É predito que Manassés e Efraim estariam contra Judah.

Cap.10- Sobre os que fazem leis injustas para prejuízo dos outros. Palavra contra a Assíria, contra sua arrogância, por dizer que com sua mão se fizera, como um instrumento que se levanta contra aquele que o manuseia. Fala a respeito dos restantes de Jacob que se converteriam a Deus.

Cap.11 - Acerca do reino de paz que haveria do Rebento de Jessé e do renovo de suas raízes, em cujo reino os animais ferozes estariam juntos aos animais mansos e às crianças. Efraim não mais teria inveja de Judah.

Cap.12 - Nesse tempo haveria ações de graças ao Senhor porque Ele dá o consolo mesmo depois da ira; Deus é a Salvação e fez coisas grandiosas na terra.

Cap.13 - Profecia contra a Babilônia: os acontecimentos espantosos do seu fim; os inimigos viriam contra ela. Babilônia seria como Sodoma e Gomorra e seus lugares ficariam desolados, habitados por feras.

Cap.14 - Mas o Senhor se compadeceria de Jacob e levaria cativo os que o cativaram. A opressão da Babilônia teria fim e haveria sossego na terra. Palavra à Assíria, para que tirasse seu jugo de sobre a terra. E contra os filisteus, que seu fruto seria uma serpente ardente, mas sua raiz morreria de fome e os seus remanescentes seriam destruídos.

Cap.15 - Predita a ruína de Moabe; haveria grande lamento em suas praças e desolação. Os leões viriam contra os que escapassem.

Cap.16 - Continua a descrever a desolação de Moabe; fala de sua soberba e altivez. Não haveria mais alegria em seus campos. Deu-se um prazo de três anos para o seu envilecimento.

Cap.17 - Julgamento de Damasco; suas cidades fortes e seus bosques seriam assolados, porquanto esqueceram-se do Senhor.

Cap.18 - Profecia acerca da terra que está além dos rios da Etiópia, dos que mandam embaixadores ao mundo. Nem os frutos de sua sega restariam.

Cap.19- Profecia contra o Egito, seu povo e seus ídolos; seus rios secariam; não haveria mais sabedoria. Mais tarde, um altar seria edificado no meio da terra, e haveria um caminho do Egito para a Assíria e Israel seria o terceiro com eles.

Cap.20 - No ano da vinda de Tartã a Asdode, Isaías foi mandado andar nu e descalço durante 3 anos, a fim de representar a vergonha do povo do Egito e dos exilados da Etiópia, cativos do rei da Assíria.

Cap.21 - Profecia contra a Babilônia e suas imagens de escultura. Profecias contra Dumá e contra a Arábia; fala de seus moradores que fugiriam da espada.

Cap.22 - Profecia contra a cidade turbulenta, que choraria amargamente. Carros e cavaleiros viriam contra a cidade. O povo se cingiria de sacos e prantearia. O fim do tesoureiro Sebna; Eliaquim ficaria em seu lugar.

Cap.23 - Profecia contra Tiro, contra sua soberba e todo o seu ornamento. Seria abatida e posta por esquecimento; uma prostitua cantaria para representar sua ruína. Seu comércio e sua ganância de prostituta seriam úteis ao Senhor.

Cap.24 - A terra se esvaziaria e seria saqueada. Seus moradores se contaminariam e por isso a maldição a consumiria. Cessou a alegria e a cidade ficou abatida. Temor e laço haveria sobre eles. A terra seria abalada como ébrio, e o Senhor finalmente reinaria no monte de Sião.

Cap.25 - O Senhor é louvado porque abateu e tornou a cidade em pedras. Ele foi a fortaleza e o refúgio do pobre e do necessitado. Haveria festa. A morte seria aniquilada para sempre e haveria o reconhecimento de Deus Salvador.

Cap.26 - Sobre a paz que haveria na cidade para aqueles que fossem fiéis. Buscariam a justiça. O ímpio seria abatido por causa de seu mal. Haveria sofrimento como o da parturiente por causa da face do Senhor. O povo seria poupado.

Cap.27 - Fala a respeito de um combate do Senhor contra o dragão. O Senhor guardaria a vinha. Jacob floresceria e brotaria Israel. A cidade ficaria solitária. Ao chamado, os que andaram na Assíria e no Egito voltariam a adorar ao Senhor em Jerusalém.

Cap.28 - Palavra contra Efraim; a coroa de soberba de seus ébrios, que erram por causa do vinho e da bebida forte. A Palavra do Senhor seria mandamento e preceito; não quiseram ouvir o refrigério.

Cap.29 - Profecia contra Ariel: seria sitiado e abatido até o pó. Não teria entendimento das visões, porque se aproximaria do Senhor com a boca, mas O desonraria com o coração. Contudo, haveria prodígios e o povo alcançaria entendimento.

Cap.30 - Profecia contra os que confiam no Egito. O Egito não lhes seria de nenhum préstimo. Eram rebeldes que só queriam profecias que concordassem com suas maldades. O Senhor lhes propõe a salvação e o repouso, mas eles preferiram fugir em seus cavalos. Haveria chuva e depois brilharia o sol com brilho sete vez maior. O Senhor apresentaria a Sua glória.

Cap.31 - Palavra contra os que descem ao Egito e confiam nos seus carros, pois são homens e não Deus; e seus cavalos carne e não espírito; seriam consumidos. O Senhor combateria como leão e ampararia Jerusalém. Apelo à conversão. A Assíria seria consumida.

Cap.32 - Um Rei reinaria em justiça. Seria um refúgio e por Ele haveria sabedoria. Fala às mulheres, tão seguras de que não seriam confundidas, para se despirem e se cingirem de sacos. O deserto se tornaria campo fértil pelo Espírito. Haveria paz e repouso.

Cap.33 - Ai daquele que retribui injustamente. Súplica ao Senhor por misericórdia. Exaltação ao Senhor. A terra está desolada. Mas o Senhor se levantará; haverá fogo consumidor; os retos habitarão nEle; segurança e paz em Jerusalém.

Cap.34 - Da tremenda indignação do Senhor a respeito das nações. O Seu juízo. A Sua espada estaria cheia de sangue e de gordura. Haveria fogo eterno na terra e desolação. Feras possuiriam a terra e espinhos os palácios.

Cap.35 - No deserto haveria alegria e florescimento. Deus viria com vingança e recompensa. Haveria milagres, curas, água na sequidão e ervas. Um caminho santo onde os remidos passariam e júbilo para os resgatados do Senhor.

Cap.36 - (Aqui se repete a fala de Rabsaqué, do cap.18 de II Reis 13 em diante, com pequenas variações, quando do cerco de Jerusalém por Senaqueribe).

Cap.37 - (Repete II Reis 19, com pequenas variações, sobre a resposta e o livramento do Senhor).

Cap.38 - (Repete II Reis 20, com a variação de que o sinal da sombra voltando é excluído e é incluída a oração de Ezequias).

Cap.39 - (Repete II Reis 20, vers.12 ao fim do livro com pequenas variações, sobre a embaixada babilônica).

Cap.40 - O Senhor dá consolo ao povo pelo livramento que é prometido. Promessa de envio de um precursor: "Voz do que clama no deserto, preparai o caminho do Senhor...". Fala sobre a beleza da terra por causa do Advento. Exaltação ao Senhor.

Cap.41 - Sobre a onipotência do Senhor e a fraqueza do que contende com Ele. A humilhação daquele quer fazer-se Deus. O anunciador de boas novas prometido a Jerusalém. Fala da futilidade das obras do homem.

Cap.42 - Sobre o Servo e Eleito do Senhor, sua chamada e missão. O louvor e a glória que é para ser dada a Ele.

Cap.43 - O Senhor anima a Jacob e Israel, pois é seu Redentor e Senhor, o único Salvador. Jacob contudo não invocou o Senhor e nem o comprou por dinheiro ou O agradou com seus sacrifícios.

Cap.44 - Promessa do Senhor de derramar o Espírito e fazer brotar a erva. Ele é o Primeiro e o Último. Do homem que faz do nada um ídolo e o adora como o seu deus. A promessa do livramento e do reino de Ciro.

Cap.45 - O Senhor falando a Ciro, seu ungido, que receberia os tesouros das escuridades. O Senhor o escolheu. Sobre a rebeldia da obra criada contra o Criador. Da justiça e salvação que vêm do Senhor.

Cap.46 - Contra a Babilônia (Bel e Nebo). Fizeram ídolo de ouro. O Senhor apela à casa de Jacob para que se lembre dos avisos que fizera; a Sua justiça não tarda.

Cap.47 - Profecia contra a filha de Babilônia, que seria humilhada e envergonhada, pois que se exaltou; mas ficaria viúva e desfilhada, porquanto confiou na maldade.

Cap.48 - Palavra contra a idolatria. O Senhor fez a terra. Chama para que se ajuntem e ouçam-No, pois Ele falará. Ele é o Senhor que ensina e guia.

Cap.49 - Fala do servo do Senhor, cuja boca é como espada. Formado desde o ventre. Mandado a Israel, mas Israel não se deixou ajuntar. Iria também aos gentios. O Senhor não se esquecerá dele; os seus inimigos serão vencidos.

Cap.50 - Ainda sobre o servo do Senhor, que foi fiel e obediente. Foi ferido, mas o Senhor o socorreu e assim não foi confundido. Apelo para que confiem no Senhor e se firmem nEle.

Cap.51 - O Senhor apela aos que seguem a justiça para que olhem para a Rocha, porque do Senhor sairá justiça e salvação. Que Sua justiça será eterna. Que Jerusalém não sentiria mais o mal sua abominação.

Cap.52 - O Senhor manda Jerusalém se despertar e cingir. Anuncia a remissão de Jerusalém; Seu braço lhe trouxe a salvação. Fala do que o Seu Servo operará e que à sua vista muitos ficarão pasmados.

Cap.53 - Sobre a manifestação do braço do Senhor que, sem parecer nem formosura, era desprezado. Mas tomou as nossas enfermidades. Comparado a um cordeiro que sofre sem se lamentar.

Cap.54 - Alegria e prazer estariam com a estéril, cuja tenda seria aumentada; não seria mais envergonhada, pois o Criador é o seu marido, e todos os seus filhos discípulos do Senhor.

Cap.55 - O Senhor convida a todos os sedentos a virem às águas; a ouví-Lo para que tenham vida; a buscá-Lo enquanto se pode achar. Chama o ímpio à conversão. Os pensamentos do Senhor estão infinitamente acima dos pensamentos do homem.

Cap.56 - Palavra para que se mantenha o juízo; bem-aventurança para os que guardam o sábado. As promessas, estendidas aos estrangeiros, aos que cumprem este preceito.

Cap.57 - Palavra contra os filhos da agoureira, semente adulterina, idólatras. Pela iniqüidade de sua avareza o Senhor os feriu; são comparados ao mar bravo; não têm paz.

Cap.58 - Palavra para anunciar a transgressão do povo; o povo jejua, mas o Senhor não atenta para tal jejum. O Senhor diz qual é o verdadeiro jejum que Lhe apraz. Se o fizerem, então terão deleite no Senhor.

Cap.59 - O Senhor fala que, embora esteja pronto a salvar, a iniqüidade do povo faz separação entre este e o Senhor. Fala do mal que praticam. Mas virá um Salvador. As obras deles seriam recompensadas.

Cap.60 - Fala a Jerusalém para se levantar, porque a luz para ela é vinda e a glória do Senhor vai nascendo sobre ela. Será posta numa excelência perpétua, um gozo de geração em geração.

Cap.61 - O Espírito do Senhor está sobre o seu Enviado para apregoar as boas novas aos mansos, restaurar os lugares assolados. Ele recompensará em verdade e fará um concerto eterno com eles. Fará brotar a justiça para todas as nações.

Cap.62 - As nações verão a justiça do Senhor em Jerusalém, que será coroada; não será mais desamparada. Está próxima a salvação da filha de Sião.

Cap.63 - Profecia falando do Senhor com as vestes tintas, vindo de Edom. Ele combateu só. No lagar pisou sozinho e destruiu os inimigos. Ações de graçaás aos Senhor pelas coisas que Ele concedeu.

Cap.64 - Deus é Quem retribui ao justo. Humilhação pelo estado do homem diante dEle. As cidades assoladas em deserto.

Cap.65 - Relação do Senhor com um povo estranho que, diferentemente do Seu povo, buscou o Seu nome. Os males que fez o povo andando contra as leis e a retribuição segundo as suas obras. Os servos do Senhor seriam fartos, mas o povo teria fome.

Cap.66 - O Senhor, da Sua onipotência, olha para o pobre. O culto do povo fez-se abominável. O Senhor será glorificado e fará juízo. A paz que haverá em Jerusalém. O mal seria consumido diante dEle. Da condenação eterna dos maus.

 

******************************************

 

 

 

Capítulo 33 - Avaliação

1 - Os profetas do Velho Testamento são 16. Como eles estão classificados?

2 - Cite os profetas maiores em sua ordem.

3 - Em que época Isaías começou a profetizar?

4 - Que rei havia cercado Jerusalém no ano 701?

5 - Cite duas passagens em que Isaías fala claramente do nascimento do Senhor.

 

Se desejar, você pode nos enviar suas perguntas ou comentários por carta ou e-mail

 Continua > > 

 PÁGINA PRINCIPAL | PÁGINA ANTERIOR | PRÓXIMA PÁGINA

Atualização: Outubro, 2013 - doutrinascelestes@gmail.com