Desde 2001, um website dedicado à divulgação dos Escritos teológicos de Emanuel Swedenborg (1688-1772).
Literatura Estudo Bíblico Links Biografia de Swedenborg Contatos
Sermões Downloads Tópicos Swedenborg website  

Estudo Bíblico "A Escritura Santa" - Parte 2.15 - O Livro de Esdras
 PÁGINA PRINCIPAL | PÁGINA ANTERIOR | PRÓXIMA PÁGINA

Parte 2 - Livros do Antigo Testamento

Capítulo 24- O Livro de Esdras

24. História do Livro de Esdras

24.1- Na conclusão dos livros "II Reis" e "II Crônicas", vê-se que os reinos de Israel e Judah tinham caído num estado deplorável, sendo o povo levado para o cativeiro na terra dos assírios. Isto aconteceu, como os profetas haviam predito tantas vezes, por causa da rejeição do povo à Lei do Senhor. O fim pior foi o do reino de Israel, que era composto pelas dez tribos que se rebelaram contra Reoboão: esse reino desapareceu completamente. Com efeito, quase toda a história do reino de Israel após a separação foi marcada pela perversão do culto, pela desobediência deliberada aos estatutos sobre os quais a nação se fundara e pelas práticas idólatras mais gross a nação se fundara e pelas práticas idólatras mais grosseiras. E na esfera do poder quase sempre os reis surgiam de rebeliões e assassinatos, muito diferentemente do que se passava no reino irmão, de Judah, em que os reis transmitiam o trono aos seus filhos e legítimos herdeiros, muitos dos quais se preocupavam em restabelecer a ordem religiosa e moral do povo.

24.2- Assim, o reino de Israel chegou ao seu fim. O povo foi levado cativo por Salmaneser, rei assírio, e nunca mais voltou à terra. Antes, o rei assírio determinou que o território de Israel fosse ocupado por outros povos, garantindo assim a impossibilidade de qualquer reconstrução do reino israelita. Mas o reino de Judah, que era composto pelas tribos de Judah e Benjamim, ainda haveria de ser restaurado. O povo foi levado por Nabucodonosor, também para a Assíria, mas com as promessas proféticas de que o cativeiro duraria um tempo de expiação equivalente a 70 anos, quando então Judah haveria de voltar à sua herança.

24.3- A promessa de restauração de Judah e do culto ao Senhor foi dada por quase todos os profetas da época. E essa promessa foi cumprida. Os livros de Esdras e Neemias nos contam como a Misericórdia Divina proveu esta restauração. Um primeiro grupo de judeus retornou à terra no ano de 536 a.C., graças à benevolência de Ciro, rei da Pérsia. Zorobabel era um dos líderes dessa primeira leva. Jeremias e Zacarias eram profetas nessa época. Mas o retorno de outros grupos, bem como a reconstrução em geral, levou mais tempo do que se esperava.

24.4- O autor deste livro, Esdras, no ano de 458 a.C., recebeu do rei persa Artaxerxes a permissão para ir a Judah e ali restabelecer o governo conforme suas leis e seus costumes. Sendo descendente do sacerdote Seraías, Esdras teve preocupação especial com a recuperação dos escritos sagrados e a sua transliteração do hebraico para o aramaico, mais conhecido dos judeus que voltavam à terra.

24.5- Os fatos narrados em "Esdras" se referem a um período de 82 anos. O livro tem 10 capítulos e 280 versículos.

 

24.6- Assuntos do livro de Esdras

Cap.1 - A proclamação de Ciro para a reconstrução do templo. As providências do povo para o retorno. Ciro devolve os utensílios tirados por Nabucodonosor do templo de Salomão.

Cap.2 - Uma lista dos que voltaram da Babilônia, segundo as suas genealogias e as suas funções, inclusive os servos e os estrangeiros. Seus animais. As ofertas trazidas.

Cap.3 - A instalação do altar. A celebração da festa dos tabernáculos. A provisão para a reconstrução do templo. Lançam os seus fundamentos no segundo mês do segundo ano. As cerimônias observadas.

Cap.4 - Os samaritanos se esforçam para impedir a reconstrução do templo. Enviam carta a Artaxerxes contra os judeus. Artaxerxes manda parar a reconstrução, o que é feito. A obra fica parada até o segundo ano do rei Dario.

Cap.5 - Ageu e Zacarias, profetas, animam Zorobabel e Josuá a continuar a reconstrução do templo. São inquiridos pelo governador das províncias e escrevem a Dario.

Cap.6 - Dario manda procurar o edito de Ciro, que é achado. Dario o confirma e o governador incentiva a reconstrução, no sexto ano o governador incentiva a reconstrução, no sexto ano de Dario. É feita a dedicação do templo e celebrada a páscoa.

Cap.7 - No ano sétimo do rei Artaxerxes, Esdras vai a Jerusalém. Cópia da carta de Artaxerxes que o autorizava.

Cap.8 - A genealogia dos que voltaram com Esdras da Babilônia. Lá, Esdras toma providência em relação ao ofício do culto e passa a administrar a obra de restauração.

Cap.9 - Os sacerdotes informam a Esdras que muitos dos que se achavam instalados na terra tinham se casado com mulheres estrangeiras, o que não lhes era permitido. Esdras se aflige com isto e ora a Deus.

Cap.10 - Propõe-se que sejam dispensadas as mulheres estrangeiras e seus filhos. Esdras se anima e determina que assim se faça. Uma lista dos sacerdotes que tinham assim procedido.

************************

 

.

Reflexões sobre os temas do Capítulo 24

1. Que resistência os judeus enfrentaram para reconstruir Jerusalém?

2. Que significado para nossas vidas podemos tirar dessa determinação do povo judeu, de, enfrentando inimigos, reedificar a cidade e o templo?

3. Que profetas incentivaram a obra?

4. Qual foi a função de Esdras na restauração judaica?

5. Qual foi a atitude de Ciro e, mais tarde, Artaxerxes para com o povo judeu?

 

Se desejar, você pode nos enviar suas perguntas ou comentários por carta ou e-mail

 Continua > > 

 PÁGINA PRINCIPAL | PÁGINA ANTERIOR | PRÓXIMA PÁGINA

Atualização: Outubro, 2013 - doutrinascelestes@gmail.com


height="36">

Atualização: Outubro, 2013 - doutrinascelestes@gmail.com